Poetas

Vida que brinda

Com o tempo que confunde

Labirinto que não finda

Criança que brinca

De olhar a vista, de cima do monte

Monte de incertezas

Acerta a rima

Pra no final não haver sentido algum

Eu faço o poema

Você a crítica

Capaz de ler todos os versos

E não sentir nenhum

Tamanha indelicadeza

Quem é sábio na escolha?

Entre uma caneta e uma folha

Ou uma cerveja

Poeta não sabe brincar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: