Liberdade Aprisionada

Na linha tênue entre minha liberdade e a prisão que é teu corpo
Cabe uma bagunça desmedida
Que esmaga meu ego
E é doce na medida
Pra me fazer refém do que quero
E escrava do que sinto
Dona do meu tempo, do meu corpo, pensamento
E louca pra me jogar nesse abismo
Pássaro que nasce livre
E é trancado na gaiola
Arte aprisionada na mente De artista que sente
Medo de tudo que há lá fora

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: